Palestras de Prevenção Primária, Secundária e Terciária.

A vida de hoje permite ao jovem uma autonomia e liberdade cada vez mais precoces para tomar muitas decisões, pequenas ou grandes, no seu cotidiano. E ele nem sempre está pronto para isso. Uma tomada de decisão envolve várias etapas que, em geral, vivenciamos de maneira automática ou inconsciente, que inclui a definição de critérios para a escolha final e a avaliação das conseqüências possíveis de cada alternativa. A Prevenção Primária atua no treinamento da tomada de decisão, hoje buscados até por executivos, administradores de empresas e líderes por sua reconhecida utilidade. Experimentar ou não uma droga, passar a consumi-la  ocasionalmente ou não, são tomadas de decisões ante as quais se deparam os jovens de hoje, mais cedo ou mais tarde. A intenção deste é levar para dentro de escolas, empresas e outros, atividades, palestras, exercícios e outros, levando o jovem a encontrar-se enquanto sujeito de sua história e o espaço escolar ou profissional tornar-se um fator de proteção.

De acordo com Britto (2006), Prevenção Primária é o conjunto de ações educacionais a serem postas em prática [...] que desenvolvem no jovem a capacidade de resistir à experimentação e ao uso de drogas psicoativas, causadoras de dependência.

Conheçam os tipos de intervenções: Universal, Seletiva e Indicada.

O que é?

Onde se aplica?

Intervenção universal – são programas destinados à população geral, supostamente sem qualquer fator associado ao risco. Intervenção universal – na comunidade, em ambiente escolar e nos meios de comunicação.
Intervenção seletiva – são ações voltadas para populações com um ou mais fatores associados ao risco de uso de substâncias. Intervenção seletiva – por exemplo, em grupos de crianças, filhos de dependentes químicos.
Intervenção indicada – são intervenções voltadas para pessoas identificadas como usuárias ou com comportamentos de risco relacionados direta ou indiretamente ao uso de substâncias, como por exemplo, alguns acidentes de trânsito. Intervenção indicada – em programas que visem diminuir o consumo de álcool e outras drogas, mas também a melhora de aspectos da vida do indivíduo como, por exemplo, desempenho acadêmico e reinserção social.

Conheçam os tipos de prevenções:

Primária, Secundária e Terciária.

• Prevenção primária – O objetivo é evitar que o uso de drogas se instale ou retardar o seu início.

•Prevenção secundária – Destina-se às pessoas que já experimentaram drogas ou usam-nas moderadamente e tem como objetivo evitar a evolução para usos mais freqüentes e prejudiciais. Isso implica um diagnóstico e o reconhecimento precoce daqueles que estão em risco de evoluir para usos mais prejudiciais.

• Prevenção terciária – Diz respeito às abordagens necessárias no processo de recuperação e reinserção dos indivíduos que já têm problemas com o uso ou que apresentam dependência. Os níveis de prevenção são um continuum, sem limites claros, muitas vezes, entre prevenção primária, secundária e terciária.